Logotipo R10
PENTECOSTES É A SOLENIDADE DO VENTO E DO FOGO

A liturgia deste domingo é toda voltada para a terceira pessoa da Santíssima Trindade. É o Espírito Santo. É Ele que nos ilumina, nos clareia os pensamentos, a memória, e nos dá inspiração no anúncio da palavra.

Aquela senhora ainda bem jovem, reclamava de que foi abandonada pelo Espírito Santo, pois sua memória estava muito mal, além de sentir tonturas, cansaço e outros sintomas de quem está com o colesterol alto, com vasos sanguíneos endurecidos pela vida sedentária, o que dificulta a irrigação do nosso cérebro, causando hipertensão, e portanto, prejudicando a saúde de todos os nossos órgãos, incluindo o nosso cérebro.

O espírito de Deus nos assiste SIM, porém, é necessário que façamos a nossa parte. Para ter pensamentos claros, e memória boa, precisamos nos abster de gorduras, não ficar muitas horas sentados diante da televisão ou do computador, e proceder a limpeza das nossas artérias e veias. E podemos fazer isso da forma mais simples e barata. COM ÁGUA DE ALHO. Que além de desobstruir os vasos, tonifica o coração.

Prezados irmãos, hoje é o domingo de Pentecostes, no qual celebramos a descida do prometido Espírito Santo sobre os apóstolos, transformando-os em corajosos, inteligentes e capaz de falar várias línguas.  Este mesmo Espírito nos congregou numa mesma fé, transformando-nos em uma família mundial, e com o seu poder, transformamos o universo no qual nós, os que cremos, formamos pela fé um só rebanho, um só corpo em Cristo Jesus.

POR QUE PENTECOSTES?

A origem da palavra e Pentecostes vem da festa da colheita. Depois, Pentecostes foi relacionada com a caminhada do povo de Deus de volta a Terra Prometida, o Êxodo, como comemoração das Tábuas da Lei entregues por Deus a Moisés no Monte Sinai. Pentecostes, assim como a comemoração da Páscoa e dos Tabernáculos, era uma grande festa do povo judeu que se deslocavam em romaria até Jerusalém. Foi na Festa de Pentecostes que  se deu a “explosão da vinda ” do Espírito Santo com toda a sua a força a qual  levou os apóstolos a tomar a palavra e a proclamar, diante da multidão reunida de pessoas de vários lugares e países, o anúncio (“querigma”) de Jesus Cristo e os mistérios da encarnação e da salvação da humanidade.

PENTECOSTES É A SOLENIDADE DO VENTO E DO FOGO

O VENTO - Era o sinal do Espírito. Como já sabemos, era culturalmente aceito que o vento ao balançar as folhas das árvores, era a para os judeus, a força do Espírito Santo.  Então os discípulos estavam reunidos num certo lugar, unidos e esperando a força do alto prometida por várias vezes por Jesus. E é bom lembrar que os discípulos, enquanto esperavam a vinda do Espírito Santo, continuavam com medo dos Judeus.

E eis que o FATO HISTÓRICO teve seu início. Primeiro uma ventania forte, acompanhada de um grande barulho parecendo um trovão. De repente todos estavam com uma chama de fogo sobre as cabeças e assim ficaram cheios do Espírito Santo que os transformaram de medrosos em corajosos, sábios, oradores eloqüentes e homens de muita fé, capazes de darem as suas vidas pela causa do Reino de Deus.

FOGO- O Espírito Santo é FOGO! É luz. Ele é o fogo que queima os nossos pecados, nos purifica, destrói as nossas fraquezas e nos transforma em pessoas fortes capazes de superar as tentações e de evangelizar sem medo.

 

Ele é a Luz que ilumina as nossas mentes, os nossos caminhos para que não tropecemos nos buracos da estrada da vida e não caiamos nos abismos.  Essa mesma luz nos leva a fazer a vontade do Pai, nos mostra o que devemos dizer quando escrevemos ou quando falamos para interpretar e explicara palavra de Deus aos homens e mulheres.  É a luz que nos conduz ao discernimento do certo e do errado, e que nos ajuda a perceber a diferença do falso e do verdadeiro, do verdadeiro Pastor, e do falso lobo vestido de ovelha dos dias de hoje.

O Espírito de luz é claridade no meio das trevas. Andando na claridade da graça de Deus, de repente, nos achamos, nos encontramos na escuridão do nosso pecado. Pois embora estejamos iluminados pela divina força, aquele que respeita a nossa liberdade, não interfere quando optamos pelo egoísmo, pela iniquidade, pela injustiça e pela violência. Mas, felizmente, este mesmo Deus de amor, em seguida nos dá a mão como um pai amoroso, que nos ama com amor de mãe, e sem nos dizer nada, nos conduz a reconciliação com Ele através do sacramento da Confissão.

VÁRIAS LÍNGUAS

Ele cria comunhão entre os povos. Semelhante à música, a qual não tem idade e não tem pátria, e que transmite a todos os povos sentimentos e emoções semelhantes ao ouvi-la, O Espírito de verdade abraça com o seu imenso poder, Vários povos,  várias línguas e todos compreendem o que ele pede, sugere, solicita, promete e cumpre. E essa força suave como uma brisa que às vezes se faz arrepio, está no meio de nós quando rezamos unidos num só corpo místico que é a Igreja de Jesus Cristo. Ele está entre nós, Ele reza em nós. Dentro de cada um Ele geme com o peso das nossas desventuras, frustrações, exclusões, e discriminações sofridas. Ele sofre também com o peso dos nossos pecados. Mas por outro lado, também se alegra quando um de nós volta para a casa do Pai, quando um de nós abandona os caminhos errados e se volta para Deus numa real conversão. E todos que o aceitam tornam-se hospedeiros da sua santíssima pessoa

PENTECOSTES EM TODAS AS MISSAS

Na hora da missa, quando o  sacerdote, estende as mãos sobre as oferendas ele  atualiza a presença de Jesus entre nós. Ele desce sobre o altar e transforma o pão e o vinho no corpo e sangue de Cristo. E como diz o padre, esse é um dos mistérios da nossa fé. Quanto a essa realidade que vivemos todas as vezes que participamos da Santa Missa, não temos a menor dúvida. Pelo contrário. Muitas são as vezes que Sentimos essa presença do Pai perto de nós, quando Ele nos toca sob a forma de suave arrepio. Isso é muito maravilhoso!

Prezados irmãos. A força e a importância do Espírito Santo para a nossa salvação é tão grande que Jesus nos deu a seguinte orientação: "Todo pecado, toda blasfêmia será perdoada aos homens, mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada" (Mt 12,31). Pelo contrário, quem a profere é culpado de um pecado eterno. A misericórdia de Deus não tem limites, mas quem se recusa deliberadamente a acolher a misericórdia de Deus pelo arrependimento rejeita o perdão de seus pecados e a salvação oferecida pelo Espírito Santo. Semelhante endurecimento pode levar à impenitência final e à perdição eterna. (Catecismo 1864).

Podemos ser ingratos com Deus Pai, virar as costas para Ele, falar mal da Igreja como muito hereges o fazem. Mesmo assim, ainda temos esperança de sermos perdoados um dia. Porém, tomemos muito cuidado no que se refere ao Espírito de Deus. Vamos medir  as nossas palavras, pensar antes de falar. Pois podemos até ser ateus, porem não nos esqueçamos do devido respeito. Pois injúrias e blasfêmias contra o Espírito e verdade não serão perdoadas. 

Caríssimos. Todos nós somos templos do Espírito Santo. Principalmente quando recebemos a Eucaristia. Jesus foi o maior templo de Deus que já existiu entre os homens e as mulheres. Ele foi o verdadeiro templo de Deus Pai. Assim, pela bondade e pela graça de Deus, ...os cristãos se tornam templos do Espírito Santo, pedras vivas com as quais é construída a Igreja. (Catecismo§1197). Isso se tornou uma grande responsabilidade, pois aumenta a o nosso dever de dar testemunho e bons exemplos, onde quer que estejamos. E é bom não nos esquecer também que O Paráclito, é uma das 3 pessoas da Santíssima Trindade, mistério que cremos e anunciamos. De modo que: Dizer que somos templos do Consolador, é o mesmo que dizer que somos templos de Deus, muito embora não o mereçamos. Deus está no nosso irmão. Por isso, nem pensar em fazer mal a Ele... Pelo contrário. Amemos a Deus a amemos o nosso irmão como a nós mesmo. 

Desejo a todos um bom domingo.

José Salviano