Logotipo R10
Por falta de combustível, viagem do 4 de Julho atrasa em sete horas

Com a vida complicada na Série D do Campeonato Brasileiro, o time do 4 de Julho teve ainda mais um desafio para superar antes da última rodada da primeira fase. Com a greve dos caminhoneiros, que afeta o fornecimento de combustível em todo o país, o voo da equipe atrasou no trecho de Brasília com destino a Palmas, de onde pegariam um onibus para ir até Porto Nacional, onde jogam neste domingo, e a rota também precisou mudar . O time saiu da capital do país três horas depois do previsto e precisou fazer uma escala no Rio de Janeiro para abastecer, antes de ir para o Tocantins.

O Colorado saiu de Piripiri à meia-noite, e saiu de Teresina às 6h da manhã, com destino a Brasília. A chegada foi por volta das 8h30 da manhã e a previsão é que o time embarcasse para Palmas às 9h30. No entanto, sem combustível, o voo atrasou e a rota da viagem alterada. A equipe embarcou com destino ao Rio de Janeiro às 12h40, onde passa por abastecimento. Só então o time seguirá viagem para Palmas, e a previsão de chegada é às 17h10.

Somando todo o percurso, a viagem de Piripiri até Palmas irá durar cerca de 17 horas, 7 horas a mais do que o planejado inicialmente. Além disso, o treino que estava previsto para arde deste sábado não poderá acontecer, algo lamentado pela comissão técnica.

- Agora é ter calma, pensar em descansar esses atletas, já que esse problema nos tirou esse trabalho de encerramento para o jogo. Temos que fazer com que esse seja mais um problema a ser superado - disse o técnico Jorge Pinheiro.

A falta de combustível que gerou o atraso é resultado da greve dos caminhoneiros, que estão paralisados em todo o país desde a última segunda-feira em protesto contra a alta do diesel. Sem abastecimento, voos estão sendo cancelados em vários aeroportos do Brasil, além da escassez nos postos de gasolina e do perigo de faltar todo tipo de material transportado via rodovias.

O 4 de Julho encara o Interporto às 18 horas deste domingo, no estádio General Sampaio, em Porto Nacional no Tocantins. O Colorado está na terceira posição do grupo A4 com cinco pontos e tem chances remotas de classificação. Para isso, precisa vencer o jogo deste fim de semana, torcer para o Cordino, segundo colocado, perder para o Ferroviário e ainda tirar uma diferença de quatro gols no saldo. Assim, o time assume a segunda colocação, mas precisa torcer para não ficar com um dos dois piores segundos colocados entre todos os grupos.

Globoesporte.com