Logotipo R10
Barras e Esperantina registram alagamentos em algumas áreas

Depois que a Defesa Civil do Piauí decretou, nesta segunda-feira (9), estado de alerta nos municípios de Barras, Batalha, Cabeceiras e Esperantina, além de José de Freitas, as prefeituras estão tomando providências para retirar as famílias dos locais de maior risco, como determinou a Defesa Civil. Com o aumento do Rio Maratauãn, no Norte Piauí, e o risco do rompimento da barragem do Bezerro, na cidade de José de Freitas, todas essas localidades também podem ficar alagadas.

Em Barras, alguns locais já estão começando a serem alagados, como nos Bairros Pedrinhas e Riachinho e no entorno do restaurante Flutuante, em razão do aumento do nível das águas do rio. Contudo, segundo o prefeito Carlos Monte, ainda não há nenhuma residência alagada. Ele disse que aproximadamente 12 a 13 bairros correm o risco de serem invadidos pela água. 

O prefeito também informou que houve uma reunião hoje a tarde e que já está sendo providenciada a retirada de famílias dos locais mais críticos.

“Para se prevenir, a gente já começou a montar uma estratégia, porque independente da Barragem do Bezerro, o rio está subindo muito por causa das chuvas. Então sabendo do risco, está sendo feito um planejamento e uma avaliação preliminar, estamos discutindo tudo, fazendo um levantamento de quantas famílias são, dos locais para onde elas iriam, de como alimentá-las. Estamos vendo ginásios poliesportivos pra serem alojadas. São cerca de 12 ou 13 bairros que podem ser afetados”, afirmou o prefeito.

Em Esperantina, também houve reunião e a prefeita Wilma Amorim informou que o nível da água do Rio na região subiu 6,64m depois do início das chuvas, que “hoje o rio já amanheceu mais alto do que ontem” e que há risco de alagamento inclusive no centro da cidade. 

Wilma Amorim se reuniu com alguns de seus secretários, representantes da Defesa Civil do Estado, e também da Defesa Civil de Esperantina, e vai começar a ser feito um mapeamento para saber quantas famílias podem ficar desabrigadas. De acordo com ela, apenas duas famílias “já estão com água na porta das casas”.

“Estive hoje em José de Freitas e a tarde fizemos uma reunião com secretários, o pessoal do hospital também e vamos começar a fazer visitas as famílias, para ver quais estão correndo risco. A previsão é de que cinco bairros e três comunidades nas proximidades do Rio possam ser alagados, para daí começar a ver para onde elas podem ser deslocadas, como escolas. Inclusive o centro da cidade corre o risco de ficar alagado e 

Wilma Amorim disse ainda que as famílias que correm o risco de alagamento e as pessoas em geral podem entrar em contato com a Prefeitura através do telefone 3383 1719, da Assistência Social da cidade, onde vai funcionar o comitê da Defesa Civil montado para trabalhar no caso.

Fonte: Cidade Verde.

Curta nossa fanpage no Facebook: www.facebook.com/reporterdez