Logotipo R10
Comandante da PM de Picos fala da falta de estrutura para combater assaltos

O comandante do 4º Batalhão da Polícia Militar de Picos, o coronel Edwaldo Viana, em entrevista ao Grande Jornal, falou da dificuldade da polícia trabalhar para combater assaltos à bancos no Piauí. Ele destacou que a estrutura que o Estado oferece é precária.

Viana disse que, apesar de a Polícia Militar não ter atribuições de fazer a segurança de bancos, esse trabalho se torna necessário por conta dos riscos que o cidadão sofre em agências desprotegidas.

“Apesar de nós não sermos responsáveis pela segurança de bancos, nós temos que dar a segurança, nós damos segurança ao banco porque têm cidadãos que transitam no banco, então nós temos que dar segurança ao cidadão. E nós sempre dizemos que o Banco do Brasil, apesar de ser uma instituição bilionária, eles não estão preocupados com a segurança, com seus clientes”, disse.

O coronel destacou que já solicitou ao Estado armamento e munições para poder trabalhar no combate a esse tipo de crime. Ele destaca que os assaltantes estão atuando de forma bem organizada e potencialmente armados.

Após o assalto que ocorreu no município de Jaicós – 55,3 km de Picos – na madrugada da última quarta-feira (31), Viana se reuniu com comandantes de para elaborar um plano de contingência para atuar nas 42 cidades que compreendem a região de Picos.

O objetivo é articular a comunicação com hotéis e pensões a fim de obter informações sobre hóspedes suspeitos, fazer um mapa dos locais que têm agências bancárias para criar estratégias de atuação.

O coronel fala que a Segurança no Piauí está cada dia mais falida e que se a situação permanecer como está, o estado pode se tornar semelhante ao Rio de Janeiro e Ceará, com relação a segurança.

OUTROS ASSALTOS

Em menos de uma semana, bancos de três cidades piauienses foram alvos de criminosos. Além do assalto à Jaicós, no dia 31 de janeiro, os municípios de Cocal e Angical do Piauí, ambas na região Norte do estado, sofreram explosões, neste final de semana, nas agências da Caixa e Banco do Brasil, respectivamente.

Fonte: grandepicos.meionorte.