Logotipo R10
Réu na morte de cabo do Bope faz post ao deixar prisão; família desabafa

Um dos réus no processo que investiga a morte do cabo do Bope, Claudemir Sousa, fez um post Facebook horas após deixar a Casa de Custódia. Ele e os outros sete acusados foram postos em liberdade ontem (09) e aguardam julgamento. Na publicação, Luan Sena agradeceu a Deus e citou uma passagem bíblica:  "O Senhor severamente me castigou, mas não me entregou à morte". 

Luan Sena foi pronunciado por associação criminosa. Ele e os demais acusados estavam presos há mais de um ano. Na decisão, o juiz da 1ª Vara do Tribunal do Júri, Antônio Nolleto, justificou a soltura argumentando que os denunciados responderam regularmente ao feito, participando de todos os atos processuais aos quais foram intimados. 

Família desabafa

A família do cabo Claudemir de Paula Sousa compareceu, nesta quarta-feira (10), à 1ª Vara do Tribunal para ter informações sobre a soltura dos acusados da morte do policial, determinada ontem (9) pela Justiça. 

A irmã da vítima, que prefere não se identificar, conta que ela e sua família sofreram um "baque emocional" desde que souberam da revogação da prisão dos acusados

A família teme retaliação já que alguns dos acusados, entre eles Maria Ocionira, então namorada de Claudemir, sabiam de detalhes de suas rotinas. Um dos acusados de ser o executor material do assassinato reside, inclusive, no mesmo bairro onde moram os familiares do cabo. 

"Agora nós somos os presos, ficamos restritos em casa, com medo de encontrar um deles na rua ou até de ser procurado por ela [Maria Ocionira]. Receber a notícia dessa soltura fez com que a gente voltasse ao dia seis de dezembro [data do assassinato de Claudemir]. Abalou muito nossa família", desabafa a Irma de Claudemir. 

A família espera que o recurso contra a decisão do juiz Antônio Nollêto seja acatado e que os acusados voltem à prisão. O magistrado entende que manter a prisão dos réus seria antecipar uma condenação.

"A gente fica descrente nas leis. O sentimento é de revolta", acrescenta.