PMs da reserva vão substituir policiais da ativa na segurança patrimonial do Judiciário

Compartilhe

O Tribunal de Justiça do Piauí e a Polícia Militar assinaram, na manhã desta segunda-feira (12), convênio que prevê a segurança patrimonial do Judiciário por policiais militares da reserva remunerada. Com a medida, os agentes desses postos devem retornar aos quadros da corporação.

Para o presidente dp TJ-PI, desembargador Sebastião Ribeiro Martins, o convênio deve proporcionar uma redução de custos ao Tribunal, por conta da substituição de mão de obra terceirizada de empresas de segurança privada por policiais militares da reserva. Ele destacou também o benefício a sociedade, que deve ganhar com mais policiais nas ruas. Convênio foi assinado entre TJ e PM — Foto: Divulgação/Tribunal de Justiça do Piauí

Convênio foi assinado entre TJ e PM — Foto: Divulgação/Tribunal de Justiça do Piauí

Segundo o comandante geral da Polícia Militar do Piauí, coronel Lindomar Castilho, atualmente o prédio do Tribunal de Justiça em Teresina conta com a segurança de 130 policiais militares, desses 60 agentes da ativa devem permanecer no posto e os demais serão substituídos. O convênio pode ser ampliado para o interior do estado.

“A partir desta terça-feira (13), vamos começar a convocação dos policiais da reserva e abrir cadastro. A previsão é que a substituição inicie já no próximo mês e os PMs da ativa serão empregados nas funções diárias, ou seja, nos batalhões, de acordo com quantidade de vagas”, explicou Lindomar.

O comandante destacou que a atividade de segurança patrimonial será realizada por meio de escalas regulamentares de revezamento, na forma de 24h de serviço por 72h de folga ou 12h de serviço por 36h de folga.

G1

Please follow and like us:
error

Compartilhe

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Digite seu nome aqui